#compartilhe

Centrais preparam resistência contra a reforma da Previdência

Uma plenária nacional em defesa da aposentadoria e da Previdência está agendada para o dia 20 de fevereiro

Publicada em 16/01/2019, 14:56

Full pt6

CUT e demais centrais sindicais – Força Sindical,CTBIntersindical, Nova Central, CGTB, CSP-Conlutas e CSB – definiram, nesta terça-feira (15), pela realização de uma plenária nacional em defesa da aposentadoria e da Previdência no dia 20 de fevereiro, quando será deliberado um plano de lutas unitário.

Até lá, deve ser realizada uma agenda de mobilização nas bases, com assembleias nas categorias e plenárias estaduais, para organizar a resistência da classe trabalhadora contra a proposta de reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro (PSL/RJ ).

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, as propostas sinalizadas pela equipe econômica do governo, como o aumento da idade mínima e a capitalização da Previdência, praticamente acabam com o direito à aposentadoria de milhões de brasileiros e brasileiras.

“E isso nós não podemos permitir. Vamos construir a resistência, organizar os trabalhadores e dialogar com a sociedade sobre os riscos das propostas sinalizadas pelo governo”, diz Vagner.

A resistência, segundo o presidente da CUT, deve ser construída a partir da base e os sindicatos têm o papel central na construção desse processo.

“Os sindicatos devem construir essa resistência e foi isso que debatemos hoje. Agora, os sindicatos devem ir para as bases, marcar as assembleias, construir a organização da luta. E as demandas e as deliberações dos trabalhadores serão a base do que iremos definir no dia 20”.

A batalha contra a reforma da Previdência, na avaliação do presidente da CUT, é o que definirá como será a luta de resistência da classe trabalhadora no atual governo.

“Por isso, é importante dialogar também com todos os setores da sociedade. E as mobilizações do dia 8 de março, Dia Internacional das Mulher, e do 1º de maio, Dia do Trabalhador, são fundamentais para estabelecer esse diálogo”.

Capitalização é tragédia para os trabalhadores

Na reunião com as demais centrais, o secretário-geral da CUT, Sérgio Nobre, rechaçou a proposta de regime de capitalização da Previdência, que Bolsonaro quer adotar no Brasil para, segundo ele, resolver o rombo nas contas públicas.

“O mesmo modelo foi adotado no Chile na década de 1980 e hoje, quase 40 depois, o resultado foi o empobrecimento e a miséria dos idosos chilenos”, diz Sérgio.

Aproximadamente 91% dos aposentados recebem benefícios de cerca de meio salário mínimo do país, o equivalente a, em média, R$ 694 – o piso nacional do Chile é de 288 pesos, ou R$ 1.575,66.

No modelo de capitalização, cada trabalhador ou trabalhadora faz a própria poupança, que é depositada em uma conta individual, geralmente administrada por bancos ou Administradoras de Fundos de Pensão (AFPs), como o caso do Chile, que podem investir no mercado financeiro.

Na prática, avalia o secretário-geral da CUT, isso significa que o valor da aposentadoria de um trabalhador depende do rendimento que a conta individual dele tiver, sem contribuição dos empresários e do governo.

“No final, a experiência mostra que o valor dos benefícios são rebaixados. Essa proposta de capitalização é uma tragédia para a classe trabalhadora brasileira”, conclui Sérgio.

Confira a íntegra da nota das centrais sindicais

Centrais orientam luta em 2019

Reunidas nesta terça (15), as centrais sindicais (CSB, CTB.CUT, Força Sindical, Nova Central, CSP – Conlutas, Intersindical e CGTB) reafirmaram sua posição contrária a qualquer proposta de reforma que fragilize, desmonte ou reduza o papel da Previdência Social Pública.

Centrais Sindicais Brasileiras decidem:

– Realização de “Plenária Unitária das Centrais em defesa da Previdência e contra o fim da aposentadoria” no dia 20 fevereiro;

– Orientar a realização de plenárias estaduais e assembleias de trabalhadores para construir a mobilização, decidirem formas de luta, greves e paralisações, para enfrentar as propostas do governo e alertar os trabalhadores sobre a nefasta proposta de reforma da Previdência e ataques à aposentadoria;

São Paulo, 15 de janeiro de 2019

Vagner Freitas, Presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT)

Miguel Torres, Presidente da Força Sindical

Adilson Araújo, Presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)

Antônio Neto, Presidente Interino da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB)

José Calixto Ramos, Presidente da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST)

Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical

Atnagoras Lopes, da Secretaria Executiva Nacional da CSP-CONLUTAS

Ubiraci Dantas, Presidente da CGTB

Por CUT

 

Fonte: pt.org.br


Veja mais

Thumb salario

Reajuste

Salário mínimo tem menor reajuste em 24 anos


Thumb economia

Geopolítica do golpe: da descoberta do pré-sal à entrega do país


Thumb geisa3

Ilegal

Oposição pede fim de acordo que lesa o Brasil em bilhões


Thumb ato fora temer

Ato unificado Fora Temer em Teresina


Thumb geisa1

Economia

Todos perdem com a reforma da Previdência de Temer


Thumb pt4

Mulheres se mobilizam contra a reforma da Previdência nesta quarta


Thumb pt7

Ameaça

Previdência: com reforma, idoso receberá benefício abaixo do salário mínimo


Thumb pt11

Bolsonaro lança campanha mentirosa para justificar Reforma


Thumb campanha trt

TRT/PI realizará Ato Público em defesa dos direitos trabalhistas e das conquistas sociais


Thumb pt10

Bolsonaro quer entregar 30% dos ativos das empresas nacionais


Thumb sinara meireles

Água e luz

Água e luz: restrição ao consumo preocupa o País


Thumb geisa2

Mobilização

Aumenta adesão à Greve Geral contra reforma da Previdência


Thumb pt2

Encontro

Wellington Dias e governadores debatem novo pacto federativo com Bolsonaro


Thumb pt9

Sabatina

Haddad: é preciso reforma fiscal e tributária para sair da crise


Thumb 29032010dinheiro016

Renda do trabalhador

Renda do trabalhador cresce mais de 33%


Thumb pt6

Suspensão

Caixa suspende MCMV para famílias que ganham até R$ 2,6 mil por mês


Thumb pt6

Desemprego

Índice dos que desistiram de buscar emprego atinge recorde


Thumb led campo maior

Senado aprova iluminação de LED em Campo Maior


Thumb 143602 1

Trabalho Doméstico

Em 11 anos, salário de trabalhadores domésticos dobrou


Thumb geisa3

Prejuízos

Privatizar o setor elétrico trará danos ao País, alerta Paulão


Thumb geisa1

Reforma

Nova Lei Trabalhista compromete saúde das gestantes e do bebê


Thumb pt3

Manobra

Bolsonaro quer aprovar a conta-gotas a reforma da Previdência


Thumb pt6

Inconstitucional

Fim do Ministério do Trabalho viola Constituição, dizem especialistas


Thumb pt7

Manifesto

Servidores tomam às ruas contra confisco salarial e previdência


Thumb dsc 0003

Decisão

Após ação civil pública do vereador Dudu, multas são suspensas em Teresina


Thumb pt10

Crise

Brasil perde verba da ONU contra a fome e aumenta crise social pós-golpe


Thumb 38452979694 f5b2294379 z

Proposição

Projeto da senadora Regina Sousa preserva direitos trabalhistas antigos


Thumb geisa4

Mazelas

Vale-tudo da reforma trabalhista aumenta o despotismo patronal


Thumb jerome valcke 1200

Fifa investe no Brasil

Fifa investe US$ 100 mi no futebol brasileiro


Thumb geisa9

Discurso

“Temer está cometendo uma fraude no salário mínimo”, diz Lindbergh


Thumb pt3

Alerta!

Mudanças na CLT podem agravar “epidemia” de acidentes de trabalho


Thumb pt1

Projeto

Comissão aprova manutenção da política de ganho real do salário mínimo


Thumb pp

Nota

"Boca Livre": Seduc-PI diz que irregularidades ocorreram em 2014


Thumb pt5

Isenção

Filiado que regularizar contribuição mensal até o dia 30 tem isenção no 13º


Thumb gasolina

Economia

Com Michel Temer gasolina sobe 30% em seis meses