#compartilhe

Água e luz: restrição ao consumo preocupa o País

Estados do Sudeste admitem medidas de racionamento de água. Para governo federal, suprimento de energia também corre risco

Publicada em 29/01/2015, 09:22

Full sinara meireles

O abastecimento de água potável nos próximos meses às populações das três maiores regiões metropolitanas do país começa a ser tratado como crítico. Haverá adoção de medidas restritivas de consumo, admitem autoridades estaduais e federais.

Só na região metropolitana de São Paulo, são 20 milhões de habitantes; outros 16,5 milhões estão na bacia do Paraíba do Sul, no Rio; enquanto, em Minas, o risco alcança cerca de 5 milhões de pessoas no entorno de Belo Horizonte.

Portanto, um total de mais de 40 milhões de pessoas correm risco de passar por medidas de racionalização e racionamento de água em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte – esta ingressa no clube das regiões com risco iminente de desabastecimento somente nesta última semana.

O governo tucano de Minas, vencido nas eleições passadas após 12 anos no poder, teria sonegado propositalmente informações sobre a crise hídrica no estado à população, agora explícita e com contornos dramáticos

Ao mesmo tempo, o fornecimento de energia passou a ser considerado também sob risco de intervenções pelo governo federal. Nos dois casos, a alegação das autoridades é que faltam chuvas para encher os reservatórios.

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga condicionou, em declarações à imprensa no final dessa quinta-feira (22), a oferta de luz elétrica ao mínimo de 10% de água nos reservatórios das usinas geradoras.

Hoje os estoques das represas nas regiões Sudeste/Centro-oeste estão em 17,4%, segundo o operador Nacional do Sistema (ONS) elétrico, enquanto o Nordeste está com 17,18%, e, o Norte, com 35,2%. O Sul, com 67,17%, não tem problemas.

A estabilidade do fornecimento depende agora de quanto tempo esses 7 pontos porcentuais vão demorar para baixar do nível “prudencial” indicado pelo ministro. A esperança geral é que chova em padrões habituais para a época do ano.

Segundo Braga, a questão hidrelétrica e o abastecimento de água já preocupam o governo. Seu ministério, junto com o do Meio Ambiente e a Agência Nacional de Águas (ANA) criaram um comitê de acompanhamento do problema.

Colapso – Ao contrário da Sabesp, companhia que fornece água aos paulistas, a Copasa mineira nunca informou o nível dos reservatórios no estado, que aparecem agora como próximos de um colapso.

A presidente da estatal mineira, Sinara Meireles, na quinta-feira (22), anunciou, sem qualquer alerta oficial anterior das autoridades mineiras, a adoção de medidas duras de contenção do consumo.

Ela apelou ao usuário para reduzi-lo em 30%. Só isso poderá impedir adoção de rodízio, aplicação de multas e racionamento. Ela tem apenas três semanas no governo petista de Fernando Pimentel, responsável pela vitória que afastou o PSDB do poder em Minas.

Sinara disse que o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) deve reconhecer a gravidade da situação ainda nesta sexta-feira, de forma a dar ao governo estadual condições de editar medidas emergenciais, inclusive campanhas educativas.

Durante quase todo ano de 2014, a falta de chuvas e o agravamento das condições de abastecimento lançaram as atenções do país apenas para os riscos vividos pelas regiões metropolitanas de São Paulo e do Rio de Janeiro.

As condições de escassez de água em reservatórios como a Cantareira (SP) e os do rio Paraíba do Sul (RJ) tornaram-se públicas e presentes na rotina nacional. Minas Gerais corria ao largo de todas as manifestações de preocupação.

Mas os reservatórios que abastecem a Grande BH também correm risco iminente de secar. Os sistemas Rio Manso, Serra Azul e Vargem das Flores, do Sistema Paraopeba, operam com 30% da capacidade; há um ano, o índice era de 78%. Serra Azul tem o pior nível (5,73%).

Outra medida anunciada pela Copasa, e que também preocupa o governo paulista, é tentar reduzir o desperdício de 40% da água tratada que corre nas redes. Meirelles também prometeu publicar diariamente informações sobre o nível dos reservatórios da região metropolitana.

Por Márcio de Morais, da Agência PT de Notícias


Veja mais

Thumb 29032010dinheiro016

Renda do trabalhador

Renda do trabalhador cresce mais de 33%


Thumb geisa1

Reforma

Nova Lei Trabalhista compromete saúde das gestantes e do bebê


Thumb geisa3

Prejuízos

Privatizar o setor elétrico trará danos ao País, alerta Paulão


Thumb led campo maior

Senado aprova iluminação de LED em Campo Maior


Thumb geisa1

Economia

Todos perdem com a reforma da Previdência de Temer


Thumb geisa3

Ilegal

Oposição pede fim de acordo que lesa o Brasil em bilhões


Thumb campanha trt

TRT/PI realizará Ato Público em defesa dos direitos trabalhistas e das conquistas sociais


Thumb geisa4

Mazelas

Vale-tudo da reforma trabalhista aumenta o despotismo patronal


Thumb ato fora temer

Ato unificado Fora Temer em Teresina


Thumb jerome valcke 1200

Fifa investe no Brasil

Fifa investe US$ 100 mi no futebol brasileiro


Thumb geisa9

Discurso

“Temer está cometendo uma fraude no salário mínimo”, diz Lindbergh


Thumb geisa2

Mobilização

Aumenta adesão à Greve Geral contra reforma da Previdência


Thumb gasolina

Economia

Com Michel Temer gasolina sobe 30% em seis meses


Thumb salario

Reajuste

Salário mínimo tem menor reajuste em 24 anos


Thumb dsc 0003

Decisão

Após ação civil pública do vereador Dudu, multas são suspensas em Teresina


Thumb 143602 1

Trabalho Doméstico

Em 11 anos, salário de trabalhadores domésticos dobrou


Thumb 38452979694 f5b2294379 z

Proposição

Projeto da senadora Regina Sousa preserva direitos trabalhistas antigos